LITERATURA


Jéssica Balbino começou na literatura ao mesmo tempo que começou na vida. Na infância e adolescência, se refugiou nos livros, que, mais tarde, fariam parte de sua trajetória. 
Abaixo, um pouco da produção literária:


Poetas do Sarau Suburbano Convicto - Ritmo e Poeisa (Ponteio, 2011) 







O livro “Poetas do Sarau Suburbano – Ritmo e Poesia” tem curadoria do Alessandro Buzo e nasceu dos saraus realizados na Livraria Suburbano Convicto, no Bixiga, em São Paulo – SP.
Com prefácio de Tubarão DuLixo, traz nomes de veteranos, de pessoas de outros saraus e de estreantes. 



TRAFICANDO CONHECIMENTO (Ed. Aeroplano, 2010)







O livro conta a história de Jéssica Balbino e da sua luta e amor pelo hip-hop. O livro propõe um olhar livre de preconceitos para a periferia. Como diz a autora, o interesse pela arte e cultura plantados na infância e na juventude produz as árvores de um futuro sem massacres cotidianos. Traz no prefácio o poeta e criador da Cooperifa, Sérgio Vaz.
A escritora se apropriou do elemento “conhecimento” para apresentar a cultura como instrumento de transformação em uma sociedade e valorizar a arte que parte do povo para o povo. Ela apresenta, no livro recheado de fotografias e boas histórias, a mescla da pesquisa com a vivência.
A informação é um instrumento utilizado na prática por Jéssica Balbino, que fala de conhecimento com propriedade. O ato de repassar o que aprende por prazer e por vontade de vencer a transformou em uma traficante de conhecimento.

Clique aqui e leia resenha do escritor Alessandro Buzo

Clique aqui e leia resenha do escritor e rapper Marcão Baixada (Enraizados) 

Clique aqui e leia resenha do escritor e agitador cultural Bruno Veloso (Periferia Invisível) 

Hip-Hop – A Cultura Marginal (Independente, 2006) 
escrito por Anita Motta e Jéssica Balbino para o TCC do curso de Comunicação Social - Jornalismo do Unifae 


“Paz, amor, união e diversão”, essa é a proposta do livro Hip Hop – A Cultura Marginal, que é, o tempo todo, fiel a história do hip-hop no Brasil e no mundo.

Com uma linguagem jornalística das grandes reportagens, clara, doce, dinâmica, eficiente, coloquial e informativa, marcada por histórias singulares com uma riqueza de dados surpreendente.

Definitivamente é um livro que traz o retrato de uma cultura urbana, emergente das classes populares das metrópoles.

Uma verdadeira aula de hip-hop, que já começa no título, nos fazendo questionar, que cultura é essa? Que marginal é esse?

 Esta obra contribui, inegavelmente para dar mais visibilidade a uma cultura que carrega em sua face, o olhar do preconceito, da ignorância, da desigualdade e da exclusão a partir daqueles que desconhecem, rotulam ou ignoram.

Clique aqui para fazer download gratuito do livro "Hip-Hop - A Cultura Marginal" 


Pelas Periferias do Brasil (Vol. 1)
esgotado



O primeiro volume de uma série até o momento com quatro edições. Lançado em 2007, reuniu 13 autores de sete Estados brasileiros sendo que Jéssica Balbino foi a única mulher de Minas Gerais a participar, integrante a obra que nesta primeira edição teve apenas duas participações femininas.
Organizado por Alessandro Buzo, a proposta do livro foi a de mostrar que “periferia é periferia em qualquer lugar” e ao reunir nomes como Jéssica Balbino, GOG, Nelson Maca, Renan Inquérito, Michel da Silva, entre outros, fez história na literatura marginal brasileira, trazendo a tona grandes escritores das periferias brasileiras. 

Hip-Hop: De dentro do Movimento (Alessandro Buzo, Ed. Aeroplano, 2001) 



O livro de Alessandro Buzo lançado em 2011 é mais uma parte escrita do hip-hop no Brasil, com mais de 70 entrevistas, uma delas é um depoimento de Jéssica Balbino sobre o hip-hop e o que ele representa para a periferia.
Na obra, Buzo confronta a declaração otimista da jornalista com a do fundador da Central Única das Favelas (Cufa), Celso Athayde, o que confere a ela um grande peso jornalístico.


Poesias para o Trabalho (Independente, 2010) 






Trabalhar nem sempre é fácil. Para a maioria dos brasileiros, a escravidão ainda é bastante presente e a senzala só mudou de nome: empresa!
Por isso, o pessoal do projeto Literatura Suburbana lançou o livreto “Poesias para o Trabalho” em maio de 2010, com participações de vários autores da periferia, de muitos Estados brasileiros, entre eles, Jéssica Balbino, representando Minas Gerais. 


#PoucasPalavras





Se a história é nossa, deixa que ‘nóis’ escreve (...). Poucas Palavras é mais um capítulo na história do hip-hop brasileiro. Retalhos de uma cultura efervescente, é mais uma obra da literatura considerada divergente, periférica, marginal. Curto, disparado e com efeito, passeia por trechos de músicas, pequenas frases, poesias concretas e poemas inéditos do MC, compositor, poeta e geógrafo Renan Inquérito.
Nesta obra, Jéssica Balbino teve o papel de colaboradora, contribuindo desde a concepção do livro, o formato, o título, passando pela organização das poesias, fotografias e temas, cuidando, ainda, posteriormente, da comunicação e assessoria da obra. 

Clique aqui e conheça o projeto #PoucasPalavras