Hip-Hop - A Cultura Marginal

Texto do livro de Jéssica Balbino é inserido em livro didático do Estado Rio Grande do Sul

TRAFICANDO CONHECIMENTO

Entrevista com a jornalista e escritora mineira Jéssica Balbino, militante do movimento hiP-hop, representante da nova literatura marginal brasileira

FEMININA EM FOCO

"Em meio a tantas armas que eles podem escolher no jogo real do “matar ou morrer”, o hip-hop escolhe a maior de todas as armas: a cultura. Uma cultura marginal, mas que não é propriedade dos grandes, não é da elite nem da burguesia. É a cultura de quem foi capaz de criá-la e levá-la adiante. É a cultura das ruas, do povo” (Jéssica Balbino)

PERIFERIA EM MOVIMENTO

Mineira multifacetada. Assim definimos Jessica Balbino, que é autora do livro “Traficando conhecimento”, jornalista e assessora de imprensa. Abaixo, uma entrevista que fizemos com ela.

Jéssica Balbino participa de livro coletivo de “Poetas do Sarau Suburbano”

Jéssica Balbino é jornalista e escritora, nasceu e vive em Poços de Caldas, mas permanece antenada com o que acontece pelas periferias do Brasil. O primeiro livro foi escrito com sua parceira Anita Motta,“Hip-Hop – A Cultura Marginal”. Ela também participou da coletânea “Suburbano Convicto – Pelas Periferias do Brasil”, organizado por Alessandro Buzo em 2007

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

DeDeus MC se apresenta na Batalha da Santa Cruz neste sábado

A rapper se apresenta durante o duelo em que vence quem rimar melhor

O tradicional desafio, onde quem rima melhor vence - a Batalha da Santa Cruz – recebe, no próximo sábado, a partir das 20h30, a DeDeus MC.

No metrô Santa Cruz, a rapper manda um som e faz a abertura do duelo que põe a prova a capacidade de raciocínio rápido, flow e o poder de destruir o adversário com rimas inteligentes, arrancando mais aplausos do público.

O show de DeDeus MC é marcado por sucessos como “Destino”, que dá nome ao EP lançado no último ano, além de “Eu to Aqui” e “No Rolê”. A rapper, com quase dois anos de carreira é uma das revelações do rap brasileiro pelas rimas bem construídas e posicionamento engajado.

Serviço – A Batalha da Santa Cruz acontece do lado de fora do metrô Santa Cruz, no próximo sábado (3) a partir das 20h30.

"Você me faz bem" é o novo clipe do Kaion

Com foco nas canções românticas e Black music, Kaion lança videoclipe da canção “Você me faz bem” produzida por Dj Hum


Falar de amor nas canções é a mais antiga fórmula para conquistar o público. E dá certo. Pensando nisso é que o artista Kaionfez a canção “Você me faz bem” e lança hoje o videoclipe.

Gravado numa loja no Pacaembu,capital paulista, o material audiovisual que tem a assinatura do diretor Vras77 traz uma participação da bailarina Thati Lira, 29 anos.

Questionada sobre a participação no vídeo, Thati enfatiza a admiração por Kaion. “Já trabalhos juntos e o Kaion tem muito talento. Sou fascinada por música, principalmente a brasileira e é muito bom poder participar e contribuir para a arte, para a música no Brasil”, diz.

Em cenas românticas ao lado de Kaion, o clipe conquista pelo requinte e enredo. Além, é claro, da canção. Produzida por Dj Hum, a música foi lançada recentemente e já ocupa posições de destaque.

Para o produtor, é uma honra participar do disco. “O Kaion me procurou para produzir uma nova música com uma levada ‘modern soul’ e lançar um single. Pensei em algo mantendo uma batida pulsante e acorde de guitarras no estilo R&B. A musica foi um sucesso e entrou na programação da Radio 105FM-SP. Nesta mesma epoca ele me convidou pra produzir o seu primeiro CD solo ( já estamos em fase final). O álbum esta sendo bem aguardado pelo publico “Black Music” e vai surpreender por conter sons maravilhosos e inusitados”, pontua.

Com o lançamento do vídeo, o cantor inicia mais uma etapa da carreira, que já tem 17 anos, e promete levar muito balanço para as pistas de dança, com o novo álbum, que tem previsão de lançamento para ainda este semestre.

Quem ganha é a Black music, que recebe um artista maduro, com a bagagem repleta de soul, blues e MPB. O lado romântico da vida chega retratado no novo trabalho.

Além do disco, Kaion pretende lançar um single em vinil, para estimular a arte dos toca-discos.

Assista o videoclipe




terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Renan Inquérito recebe medalha por trabalho com hip-hop


Rapper é homenageado pela Câmara Municipal de Nova Odessa-SP

Informação, campanha de combate ao alcoolismo, incentivo a leitura e muito entretenimento através da música. Este é um resumo das atividades do rapper, geógrafo e poeta Renan Inquérito, que na noite desta quarta-feira (29) recebe a medalha de mérito Dr. Carlos José de Arruda Botelho, na Câmara Municipal de Nova Odessa - SP em razão dos relevantes serviços prestados à cidade.
Morador do município, o Renan utiliza o hip-hop como ferramenta para dialogar com os mais variados púbicos e por conta dos recentes trabalhos a frente do Inquérito, conquistou a admiração dos parlamentares da Câmara Municipal da cidade em que vive e será condecorado pelas ações prestadas.
A frente do grupo Inquérito desde 1999, Renan pratica, hoje, o conceito empregado no disco mais recente - MUDANÇA - e por meio dos videoclipes Um Brinde que gerou uma ação que foi realizada em mais de 200 pontos em todo país e cinco no exterior e #PoucasPalavras, tem percorrido o país em oficinas, workshops, palestras e shows.
No final de 2011 lançou também o livro de poesias também intitulado #PoucasPalavras.
Para 2012, prepara o documentário "Cada Canto Um Rap, Cada Rap Um Canto" tratando das regionalidades presentes em áreas distintas do país.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Função Original e grupo Yahê em Campinas

Na noite de sexta-feira (24), o grupo Função Original fez um show no Armazém 31, em Campinas, ao lado do grupo de samba e pagodeYahê. Mostrando que a mistura dos rimos dá certo, o samba rap "É Né" fez todo público cantar e dançar numa dobradinha com a canção"Empresta a chave" do Yahê.
"Uma noite de emoção e muita música", resume Leo, do Função Original, que faz questão de assinar com a hashtag #MovidosPelaMúsica


Assista ao vídeo feito por Jurssa da produtora Relógio Urbano



Serviço - Toda sexta-feira o grupo Função Original faz show no Armazém 31. Agendem-se

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Jéssica Balbino participa de antologia "Pode Pá que é Nóis que Tá"


Sarau dos Mesquiteiros publica primeira antologia

Com 54 escritores, a antologia organizada por Rodrigo Ciríaco será lançada no próximo sábado

Compartilhar a paixão pela literatura. Esse foi o primeiro objetivo do projeto Literatura (é) possível, criado em 2006 pelo educador e escritor Rodrigo Ciríaco, numa escola pública da zona leste da periferia de São Paulo.

Pode-se dizer que o trabalho está dando certo. Em 2009 surgem Os Mesquiteiros, coletivo cultural formado por jovens e adolescentes da comunidade do Jardim Verônia (Ermelino Matarazzo) que fortalecem e dão nova dinâmica ao projeto. E agora em 2012, entre saraus, encontros literários, espetáculos teatrais e a criação de um selo literário, surge então a primeira antologia do Sarau dos Mesquiteiros: “Pode pá que é nóis que tá”. A expressão cotidiana dá título a obra de poesia e prosa que reúne 54 autores, sendo 30 homens – sete nunca publicados – e 24 mulheres – 16 nunca publicadas.

Com o projeto gráfico feito por Silvana Martins (Sarau da Ademar), a obra é viabilizada com recursos do programa VAI e contempla não somente o livro, como oficinas de literatura e teatro, bem como o recém-lançado livro de contos, o “100 mágoas” do autor e criador do projeto, Rodrigo Ciríaco.

O livro chega então dividido em quatro capítulos que trazem, expressamente, títulos de canções do rap nacional como “Antigamente Quilombos, Hoje Periferia”, do grupo Z´África Brasil. “Ainda Há Tempo”, do Criolo. “Vida Loka”, dos Racionais MCs e “Fogo no Pavio”, do rapper e também poeta GOG.

“Além de acreditar que os títulos tem uma relação com o conteúdo de cada capítulo, foi uma maneira de homenagear e lembrar a cultura hip-hop e a sua importância para o movimento de literatura marginal – periférica”, destaca Ciríaco.





A miscelânea de estilos e autores fica por conta da diversidade, onde os estreantes, hoje com 12 ou 13 anos de idade encontram-se com já consagrados autores, com até 20 anos de estrada. “Pode Pá que é Nóis que Tá” é uma obra única por isso. “Respeitamos a caminhada, a história de todos, por isso, ao invés de destacá-los por suas histórias, destacamo-los por seus contos, seus poemas. Por seu trabalho literário. Aqui, isso é o que conta, o que importa.E todos são igualmente importantes. Pois todos escrevem a literatura possível. todos mostram que a literatura é possível”, enfatiza o idealizador.

Desta forma, o livro é também uma referência para se trabalhar em escolas, associações e saraus que apresentam a diversidade literária, se transformando num multiplicador do projeto Literatura (é) Possível.




Assista um vídeo sobre o Sarau dos Mesquiteiros







Serviço - O lançamento do livro acontece no próximo sábado – 25 de fevereiro – das 17h às 20h no Sarau dos Mesquiteiros na Escola Estadual Franco Mesquita, localizada a rua Venceslau Guimarães, 581, Ermelino Matarazzo.

Mais informações podem ser obtidas nos sites www.mesquiteiros.blogspot.com e www.efeito-colateral.blogspot.com



domingo, 19 de fevereiro de 2012

Um Brinde: uma campanha ousada, independente e de resultado


“Enquanto você assiste a esse vídeo, 14 pessoas morrem, no mundo, vítimas de problemas ligados ao álcool”. Esta é uma das muitas estatísticas que aparecem no videoclipe Um Brinde, do grupo Inquéritoe foi, justamente, pensando nisso que o grupo lançou, há um ano, o projeto Um Brinde e, o que seria apenas um material audiovisual transformou a missão do grupo, literalmente, em Mudança – título do terceiro álbum – e deixou de ser apenas entretenimento, transformando-se numa campanha mundial contra o alcoolismo.

“O Um Brinde tem a cara do Inquérito. É contundente e desafiador. Um soco na cara da mesmice, do medo de falar de assuntos polêmicos, afinal, todo mundo fala mal da polícia, dos políticos, das drogas, mas poucos assumiram uma postura declarada contra as bebidas alcoólicas, até porque a maioria bebe. O álcool é a primeira peça do efeito dominó que atinge as periferias do Brasil e é o desencadeador de problemas familiares, violência, uso de drogas e acidentes”, dispara o líder e MC do grupo, Renan Inquérito.

E é justamente essa postura que levou o grupo a uma dimensão na imaginada. O videoclipe, que tem roteiro e direção de Vras77 foi inserido na campanha Um Brinde, quando o grupo casou as datas de lançamento com a Semana Nacional de Combate ao Alcoolismo, fazendo com que o vídeo percorresse, numa única semana, mais de 200 pontos de exibição em todos estados do Brasil e cinco em outros países como Portugal, Cuba, Guiné Bissau, EUA e Inglaterra.

Hoje, um ano depois, a mudança não para por aí. Ações, palestras, workshops, relatos comoventes e contundentes, incursões em Fundações CASA e um saldo positivo: utilizar o rap, o audiovisual e uma rede de contatos para colocar em prática uma campanha ousada, inédita e que funcionou.


Em 2011, o Inquérito realizou exibições durante Semana da Juventude, na cidade de Canoas – RS, completando uma série de ações que incluem o projeto/campanha.

O vídeo foi também premiado no festival nacional de cinema, o Curtamazônia, na cidade de Porto Velho – RO, além de ter sido exibido na Assembleia Legislativa de São Paulo e na Câmara dos Deputados em Brasília – DF, durante a Comissão Especial sobre as Causas e Consequências do Consumo Abusivo de Bebida Alcoolica.

Além disso, o grupo já esteve presente em várias cidades e estados, fazendo exibições e palestras sobre a campanha, passando pelo Paraná, Rio Grande do Sul, Sudeste e Norte do Brasil.

O objetivo é atingido quando o grupo se depara com declarações como a da supervisora de comunicação Vívian Bárbara Camargo, 31 anos, que acompanhou toda divulgação da campanha pelo twitter e se sensibiliza, por já ter perdido pessoas importantes. “Agradeço, de coração, ao grupo Inquérito. Só eu sei o quanto campanhas como esta são importantes”, destaca.

Na parte audiovisual o clipe também tem agradado, foi exibido no festival de cinema Cine Cufa no Rio de Janeiro e chegou a final do concurso internacional Caixa de Clips, sendo exibido em todos os países da América Latina, a partir da TAL TV.

A música Um Brinde também já foi usada também num curta metragem produzido por estudantes de uma escola estadual de Ilhéus, na Bahia. O filme 2 lados da Moeda 2: sem país das maravilhas foi, inclusive, premiado pela trilha sonora no Festival Baiano de Cinema.

E as premiações e referências ao clipe, a música e ao projeto não se encerram por aí, durante as gravações, feitas em Nova Odessa, Santa Bárbara D´Oeste e Campinas, o fotógrafo Márcio Salata acompanhou o processo e um de seus cliques lhe renderam uma menção honrosa no 2º Prêmio Top Etanol.

No entanto, na contramão das premiações, a principal conquista, na ótica do grupo Inquérito, um ano depois de instalada a campanha e com pretensões de ser expandida para mais este ano, o mais importante foi o diálogo estabelecido com o povo e o poder público. “Realizamos ações em conjunto com secretarias de saúde, trânsito e educação, oficinas nas Fundações Casa e em escolas. Um Brinde não ficou restrito as ondas do rádio, nos levou até os lugares, nos possibilitou trocar ideias frente a frente com todos os tipos de pessoas, como políticos, educadores, autoridades, alunos, gente simples. Tudo isso sem palco, sem distância. Falávamos e depois éramos questionados também, ou seja, houve um diálogo, coisa que o show muitas vezes não possibilita. Estamos muito contentes com o resultado da campanha”, finaliza Renan Inquérito.


Assista ao videoclipe Um Brinde





Assista ao videoclipe de premiação no Festival CurtAmazônia





sábado, 18 de fevereiro de 2012

A casa fica bem melhor assim

"Hoje joguei tanta coisa fora
Eu vi o meu passado passar por mim
Cartas e fotografias gente que foi embora
A casa fica bem melhor assim

O céu de Ícaro tem mais que o de Galileu
E lendo teus bilhetes, eu lembro do que fiz"


A primeira vez que eu ouvi essa música foi durante a primeira exibição da novela VAMP na Rede Globo, em 1991. Na época, pensei quando seria que eu teria TANTA COISA, a ponto de jogar algumas fora. Aos seis anos, não tinha um acervo muito grande e não me imaginava me livrando dos meus gibis - coisa que não fiz até hoje - tampouco das coisas que eu tinha ao meu redor.
Hoje, vinte anos depois, sinto a total necessidade de jogar fora tanta coisa, não só externamente como por dentro também e hoje, sábado de Carnaval, tirei o dia para fazer isso.
Aliás, já não é mais sábado. Meu relógio marca 00h01 e já se foi o 18 de fevereiro - dia em que comemoramos um ano da campanha Um Brinde que farei um post especial depois - e chegamos ao dia 19 de fevereiro.
As lembranças, as dores, as memórias são inevitáveis no dia de hoje. Ao som dos Paralamas, hoje, joguei, sim, muita coisa fora.
E vendo meu passado se passar por mim me encontrei com a criança que há muito tempo deixei de ser, com a adolescente - da parte boa que eu guardei - com a jovem e com a mulher que eu estou, tardiamente, me transformando.
Entre as cartas e fotografias que eu remexi, encontrei a alegria de momentos tão pequenos, mas que em temos de tanta tecnologia, fizeram toda diferença.
Hoje faz cinco anos que a Anita Motta, minha melhor amiga, se foi. Era uma segunda-feira de Carnaval e no dia posterior eu vivi um dos piores da minha vida. No bilhete que achei entre tantas coisas, ela dizia "a vida vive pregando peças, né Kbça". É... acho que no meu caso, a maior peça pregada pela vida foi ficar sem minha amiga, sem as lembranças dos anos de faculdade, sem uma mão para segurar nos dias mais tristes, inseguros ou frios.
Mas,fui obrigada a seguir. E hoje, olhando para trás, pude enxergar, com saudade e alegria as boas coisas que já fiz, as boas coisas que vivi.
Um simples torpedo de festa junina, um bilhete entregue junto com uma apostila no meio da aula, um desenho de pinto numa carta toda colorida, uma conversa de pergunta e resposta durante uma aula super chata, uma carta de amiga para amiga, cheia de confidências, um simples cartãozinho para lembrar que alguém é importante e coisas que não precisam de backup, mas de um espacinho no fundo do guarda-roupa, numa caixinha, para serem revividas e lembradas de vez em quando.
E de todas as coisas que eu poderia me lembrar da faculdade, as melhores estão ali, numa caixinha, no fundo do armário, que eu só abro de vez em quando, porque, apesar dos sorrisos que escapam ao ler palavras doces, palavras de zueira, não posso ignorar as pontadas no coração, quando percebo a folha cada vez mais amarelada assim como as lembranças, cada dia mais opacas.
Se hoje o gênio da lâmpada me desse um - ao invés de três desejos - saberia exatamente o que pedir: mais um dia com a minha melhor amiga. Só para dizer tudo que não foi dito, perguntar o que ficou no ar, dar um mais um abraço apertado, ouví-la gargalhar por algo que eu dissesse e que seria tão nosso, como piadas que só melhores amigas tem entre si, e dizer que nestes cinco anos eu senti falta dela todos os dias. Uns dias mais, outros menos, mas não teve nenhum que eu não pensasse em como as coisas seriam. Certamente diferentes. Não sei se ainda seríamos tão próximas, mas, seria um pecado se não fôssemos, visto que construímos tanta coisa juntas em tão pouco tempo.
E sim, meu desejo seria esse.
Voltando pra realidade, vi o meu passado passar por mim e foi como me olhar no espelho, em diferentes épocas. Limpar o que já não serve mais, jogar fora o que só faz volume e me impede de acrescentar coisas novas à bagagem e ainda sorrir com tantas particularidades que só eu sei que tenho e só eu posso me dar.
Ouvir Paralamas me remete a uma época muito peculiar. Em que eu acreditava e enxerga as coisas por outros ângulos, no entanto, me transporta, imediatamente, a um lugar em que tanta gente já se foi, mas, continuam especiais em bilhetes que me fazem pensar no que eu fiz.
E hoje, nesta folia do momo interna, digo, sim, que estou pronta para seguir ... bem mais leve, nem alegre, nem triste: EM PAZ !

"Querendo ver o mais distante, sem saber voar "

E apesar dela não estar mais aqui, como sempre, dobrei meus joelhos e orei, para, que de alguma maneira, ela sinta como é especial.
E pedi a Deus para que nunca mais eu tenha que ficar longe de quem eu amo e que se isso acontecer, que eu tenha tempo de dizer o quanto os estimo, o quanto são especiais e de abraçá-los em laços que sejam infinitos.









terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Kaion lança teaser do clipe “Você me faz bem”

Dirigido por Vras77, o videoclipe tem a participação da atriz Thati Lira e deve ser lançado ainda este mês

O lado romântico da vida. É assim que o músicoKaion aparece no videoclipe “Você me faz bem”. Dirigido por Vras77, o teaser mostra um casal apaixonado, numa pegada que promete balançar as pistas do país.


Com a participação de Thati Lira, o videoclipe tem previsão de lançamento para o final deste mês e marca o retorno de Kaion ao estilo Black music, desta vez com o álbum solo que leva o mesmo nome da música.

O single, que teve a produção de Dj Hum já pode ser baixado pela internet e conferido.


O álbum

Com 17 anos de carreira, Kaion deu seus primeiros passos na música ainda aos 07 anos de idade ingressando em uma orquestra como violinista. Mais tarde o músico ingressou na Faculdade Paulista de Artes para estudar canto e teclado, ampliando os conhecimentos musicais.

O novo disco vem pela gravadora Hum Batuque e a faixa “Viver sem Você”, também produzida por Dj Hum e com feat de Tony Bizarro também já liberada para download, agradaos ouvintes e adeptos da Black music.

Além do disco, Kaion pretende lançar um single em vinil, para estimular a arte dos toca-discos.“Será um material voltado aos Djs e colecionadores”, considera.

Assista o teaser do videoclipe “Você me faz bem”






segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Cena Peixinhos - veja como foi o show do Combo X com Emicida

Assista vídeos da apresentação do Combo X com o Emicida

Na noite de ontem (11), aconteceu em Nascedouro de Peixinhos o primeiro encontro, no palco, do grupo Combo X, que surge na cena musical cheio de novidades auditivias, e do rapper Emicida.
Juntos, executaram duas canções e fizeram a abertura da atração da noite: Nação Zumbi.
A equipe do Combo X filmou os shows e é possível assistí-los em duas partes, nos links abaixo:














sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Kaion anuncia álbum solo de Black music

Com a liberação do single “Você me faz bem”, Kaion anuncia o próximo álbum e videoclipe


“Você me faz bem”. É com este single, produzido por DJ Hum, que o músico Kaion retoma a cena do rap brasileiro neste mês. Numa pegada bastante pop, ele anuncia o lançamento do álbum solo de estreia para este ano e enquanto finaliza a produção no estúdio, libera a canção para download. Quem ganha é a Black music, que recebe um artista maduro, com a bagagem repleta de soul, blues e MPB.

Com 17 anos de carreira, Kaion deu seus primeiros passos na música ainda aos 07 anos de idade ingressando em uma orquestra como violinista. Mais tarde o músico ingressou na Faculdade Paulista de Artes para estudar canto e teclado, ampliando os conhecimentos musicais.

O novo álbum, que tem o mesmo nome do single liberado, promete aquecer as pistas. Além do disco, Kaion pretende lançar um single em vinil, para estimular a arte dos toca-discos. “Será um material voltado aos Djs e colecionadores”, considera.

Assim, o lado romântico da vida vem retratado em canções que tem mensagens positivas e são influenciadas pelo cotidiano do músico.

Também produzida por DJ Hum e feat de Tony Bizarro, Kaion já liberou a faixa “Viver sem Você”, que segundo uma resenha do Coletivo Action “é de arrepiar essa track. A primeira coisa que veio a minha cabeça quando ouvi. R&B com pé no soul das produções da Filadélfia nos anos 1970/1980, cheias daquele ar enternecedor. Kaion tem tudo para se tornar uma das revelações da música negra nacional neste ano”, enfatiza Raphael Morone.

Videocliope

Acompanhado do single, Kaion pretente, para o início de março, lançar o videoclipe da música “Você me faz bem”. Sob a direção de Vras77, as cenas para o material audiovisual já estão sendo captadas na capital de São Paulo.

Em 2011, o músico já fez um videoclipe com Vras77, da canção “Por que me deixou”, o vídeo foi feito pela gravadora Humbatuque e teve como artistas Kaion e Mardn Jam.

A história

Por influência do gosto musical da mãe, Kaion cresceu ouvindo nomes como Marvin Gye e a banda Earth in the Fire, já o pai, compositor de sucesso deu a musicalidade necessária ao artista, assim, ele se apaixonou pela música negra, assumindo este estilo musical em seu repertório.

Em 2003 Kaion lançou seu primeiro CD, ao lado do grupo Tríade e atualmente trabalha para o lançamento de seu primeiro CD solo intitulado “Você me Faz Bem”, além, do cd o artista também lançara um single em formato vinil, voltado para Djs e colecionadores. Kaion já dividiu palco com Emicida, Happin Hood, Dj Hum, Expressão Ativa, Tio Fresh, Quelinah, Thaíde e sonha em parcerias com Criolo, Ed Motta, Seu Jorge e Maria Rita.

Ouça e baixe o single "Viver sem Você"




Ouça e baixe o single "Você me faz bem"



Serviço - Para saber mais sobre o músico, siga no twitter @Kaion_Black

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Combo X recebe Emicida no Cena Peixinhos

Grupo de percussão recebe o rapper Emicida durante o festival Cena Peixinhos Ano II no próximo domingo


Tradicional palco da cena cultural pernambucana, o Nascedouro de Peixinhos sedia, a partir do próximo dia 12, o projeto Cena Peixinhos Ano II. Numa programação pré-carnavalesca, apresentações diversas marcam o festival musical, incluindo o recém surgido projeto Combo X, projeto de Gilmar Bolla 8, que tem como carro chefe a percussão, sendo o primeiro grupo de Pernambuco a gravar com duas baterias.

Para somar ao show, o rapper Emicida desembarca em Recife para uma apresentação ao lado do coletivo, onde cantará duas canções “Avua Besouro” e “Viva”, fazendo o intermédio entre o rap – também presente no som do Combo X – e a percussão, que marca o primeiro disco do grupo, intitulado como “A Ponte” e que chega temperado por instrumentos de sopro, trombone, alfaias, guitarra, timbais, caixa, abe e gonguês.

Outras duas participações marcam a apresentação do grupo. Toca Ogan, da Nação Zumbi também se apresenta com o grupo, assim como Sandra Beleza, que vive em Bruxelas e está de passagem por Recife. O Combo X promete uma versão em francês.

Na última semana, e para marcar os 15 anos sem Chico Science, o Combo X liberou duas faixas do novo álbum. “Rua do Condor”, com participação do rapper Flávio Renegado – já ampliando o diálogo do Combo com o rap – e “São Benedito”, faixas que falam da batalha de Zumbi dos Palmares e das experimentações de capoeira e maracatu, sem deixar de lado a urbanidade do hip-hop.

Serviço – Para ouvir os sons do Combo X, visite o site oficial www.comboxpe.com.br

Cena Peixinhos

Nesta edição do Cena Peixinhos, a banda convidada é Nação Zumbi, que representa bem mais que um momento histórico musical que nasceu no bairro, mas que carrega em si uma identidade visceral com toda realizada. Além disso, a programação da Semana Pré-carnavalesca inclui apresentações de várias agremiações carnavalescas e de 06 bandas e 02 grupos de dança que representam a cena atual do bairro e tem inserção e envolvimento na comunidade, além de expressar fortemente a diversidade e a riqueza da cultura produzida em Peixinhos. São elas: Banda RDA, Banda Capim Santo, Banda MAKTUB, Banda Soul Raízes, Banda Etnia, Balé Afro Majê Mole e Balé Raízes. As bandas ainda receberão como convidados Toca Ogan, Marcaxé, Josildo Sá e o já citado Emicida.

Programação

O evento será iniciado às 14 horas do dia 12 de Fevereiro de 2012 (domingo), na área externa da Refinaria Multicultural (anfiteatro), com a apresentação das agremiações carnavalescas em palco de apoio, onde deverão ser instaladas barracas para a praça de alimentação.
No palco interno a partir das 16 horas serão iniciadas as apresentações das bandas e grupos selecionados com a participação dos convidados até as 20h quando será iniciado o show da Nação Zumbi.
Esse evento representa uma oportunidade do público conhecer o trabalho de inúmeros artistas que fazem parte do berço do Movimento Mangue e que resistem e lutam para continuar produzindo sua arte enriquecendo cada vez mais a cultura pernambucana.

Rapper catarinense é preso injustamente acusado de tráfico

É difícil para uma sociedade preconceituosa aceitar que um jovem da periferia possa viver da música.

A história de MC BB Gigante é parecida com a de milhares de jovens brasileiros que nascem e crescem nas periferias, onde o descaso do poder público reina. A falta de oportunidade faz com que ainda na adolescência muitos se envolvam com o crime. E com BB Gigante não foi diferente, mas os erros cometidos no passado, e já pagos para a justiça, o fizeram enxergar outro caminho.

Contrariando as estatísticas, o menino do Pastuga se tornou um rapper conhecido nacionalmente. BB Gigante já se apresentou em vários estados brasileiros, sempre levando sua mensagem de superação e força de vontade. Em suas músicas o rapper também não economiza elogios para a cidade de Florianópolis e valoriza as belezas naturais em suas letras. Em 2011 o grupo de BB Gigante, o Floripa MC’s, ganhou o prêmio Voz do Morro, da RBS, como melhor grupo de rap de Santa Catarina.

Em uma sociedade em que o normal é a elite fazer sucesso, é difícil aceitar que um jovem de uma das comunidades mais pobres de Santa Catarina e que já foi preso na adolescência conseguiu vencer na vida através da sua música. Mais inacreditável ainda é se essa música for RAP.

BB Gigante se tornou um exemplo para muitos jovens das periferias. Só que isso incomodou algumas pessoas e denuncias infundadas foram feitas contra ele, o que levou a Polícia Civil de Florianópolis a invadir a casa do rapper, bem como outros barracos do Pastuga. Nada foi encontrado com BB Gigante, mesmo assim o rapper foi preso e acusado de tráfico.

A popularidade de BB Gigante fez com que a polícia de Florianópolis transformasse uma ação policial num verdadeiro espetáculo. Tanto que a equipe de reportagem de um programa de televisão foi chamado para acompanhar os trabalhos. Depois do circo montado, com ou sem atração principal, o show continuou.


Quatro pessoas foram presas, todos moradores do Pastuga. Mas, isso não significa que trata-se de uma quadrilha de traficantes. Até porque a quantidade de drogas apreendida em toda a ação foi de apenas 50g de maconha. Isso mesmo! 50 gramas. Cada caso precisa ser analisado isoladamente, mas o que precisamos esclarecer é que nem drogas, nem armas, nem dinheiro foi encontrado com BB Gigante. Então, como que ele foi preso em flagrante? Flagrante do que? A verdade é que o sucesso de BB Gigante fez com que a polícia se promovesse com isso.

Em matéria do Jornal Diário Catarinense de 02/02/2012 foi publicado que segundo os investigadores, a comunidade não quis depor contra BB Gigante por causa de medo. Essa mesma informação foi disseminada por outros sites e jornais. Mas algum repórter foi até a comunidade tentar falar com os moradores? Prefiro acreditar que por falta de tempo e pressão para o fechamento das edições as notícias não são apuradas como deveriam e não de que a imprensa catarinense se acomoda no ar condicionado das redações e não se dá ao trabalho de ir as ruas para ouvir o que realmente a população tem a dizer. Se tivessem ido ao Pastuga, lugar que há maioria nem nunca ouvir falar, teriam visto uma comunidade muito abalada pela prisão de BB Gigante. Uma comunidade que idolatra o jovem por ele ter vencido na vida através do seu talento. Ter vencido e jamais ter esquecido o lugar de onde veio.

BB Gigante se regenerou e dedicou sua vida a música. Agora, uma investigação superficial, uma prisão injusta e uma repercussão desmedida estão prejudicando os sonhos de um jovem que já havia superado a problemática do crime. BB Gigante não tem envolvimento com o tráfico de drogas e nem faz parte de nenhuma quadrilha. Há anos a música é a única arma que ele utiliza contra o sistema.

http://soundcloud.com/floripamcs

Se você ama seu gueto

Sou do bem Não do Mal